Neste sábado, 25, a tragédia da Fonte Nova completa 10 anos. O Bahia prepara uma -justa- homenagem para a partida contra a Chapecoense.

O confronto entre Bahia e Chapecoense marca mais do que a despedida do tricolor e seus torcedores nesta temporada. A partida do próximo dia 26 de novembro significa, também, que se passaram 10 anos e um dia desde a maior tragédia do esporte baiano. Uma das maiores da história nacional.

Naquele dia 25 de novembro de 2007 o Bahia e toda a sua torcida esperava acabar a noite comemorando o acesso para a Série B, mas no final das contas o que ficou marcado foram as sete vidas ceifadas com a queda de parte da arquibancada do anel superior leste da Fonte Nova. Anísio Marques Neto, 27 anos; Djalma Lima Santos, 31 anos; Jadson Celestino Araújo Silva, 25 anos; Joselito Lima Jr, 26 anos; Márcia Santos Cruz, 27 anos;  Midiã Andrade Santos, 24 anos, e Milena Vasquez Palmeira, de 27 anos foram as vítimas fatais.

Foto: Reprodução/Antonio Saturnino

Falar da tragédia ainda envolve muita dor, sofrimento e esquecimento. O assunto ainda é um tabu para os gestores do consórcio da Arena Fonte Nova (responsáveis por gerir o equipamento após a reconstrução); e, passados 10 anos, ninguém foi responsabilizado pela tragédia. Buscando contrariar esse contexto e oferecer as -devidas- condolências às famílias vitimadas naquele dia, o Bahia se movimentou nesta semana: buscou o sobrevivente Jader Landerson, que visitou o Fazendão, ganhou ingressos para acompanhar a partida e, também, ganhou a camisa nº 3 do clube, chamada de Paixão Tricolor. Segundo informações divulgadas no twitter oficial do clube, a irmã de Milena e também sobrevivente, Patricia Vasques preferiu não ir. Irmão de Djalma e compadre de Marcia, Adilson também ganhará ingressos.

Jader posa para foto com camisa e ingresso que ganhou do clube. Foto: Reprodução/Twitter Oficial do EC Bahia

O Bahia solicitou à CBF que o minuto de silêncio da partida seja em respeito à memória das sete vítimas da tragédia e teve o pedido acatado pela entidade. Através de nota oficial, o clube informou que será exibido um vídeo no telão do estádio, os jogadores entrarão com braçadeiras pretas no uniforme e haverá a presença de familiares e sobreviventes. Do outro lado, na Chapecoense, o clima também é de comoção: no dia 29 de novembro a tragédia do avião que conduzia o clube à final da Copa Sulamericana, em Medelín.

A partida entre Bahia e Chapecoense acontece amanhã, 26, com apito inicial previsto para as 18h em horário local.

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui