Card: Resenha na Rede.

@Resenhanarede

O Vitória encerrou a disputa do Campeonato Brasileiro Série A 1 com a pior campanha. O rubro-negro feminino não marcou nenhum ponto na competição e marcou apenas dois gols. Em uma análise fria dos números a primeira impressão é que faltou competitividade para as Leoas, mas alguns pontos foram fundamentais para o desempenho tão ruim, como explica o comandante da equipe, Lucas Grillo.

“Faltou um pouco mais de experiência. Nossas atletas foram determinadas, porém, a grande maioria enfrentou uma Série A1 pela primeira vez na vida. Jogando contra grandes equipes, contra jogadoras de seleção brasileira, a falta de experiência acaba fazendo grande diferença”.

O elenco iniciou com uma média de idade menor que 23 anos e recebeu alguns reforços durante o desenrolar da competição, mas de acordo com o treinador, desde o inicio havia a certeza da dificuldade na disputa. Grillo chama atenção para o fato de algumas jovens atletas conseguirem sobressair. “Tivemos atletas promissoras, que conseguiram desenvolver durante o campeonato. Inclusive estão sendo procuradas por outras equipes para série A2”, ponderou.

O TRABALHO NÃO PARA

O técnico Lucas Grilo garante que a intenção é a permanência do trabalho e a disputa da Série A2 do Campeonato Brasileiro no próximo ano e mais uma vez buscar o acesso, façanha que o Vitória conseguiu em 2018 de forma invicta.

“O trabalho continua. Temos nossa divisão de base, onde estamos formando grandes talentos, contribuindo para as categorias de base da seleção. Conhecemos as dificuldades da Série A2. Sabemos que para brigar pelo acesso, precisamos ter uma equipe equilibrada entre juventude e experiência. Mas se ficar decidido que disputaremos apenas com nossas atletas da divisão de base, iremos buscar fazer o nosso melhor da mesma forma”, garantiu.

Colaborador: Osvaldo Barreto.

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui