Foto: Jonatan Dutra/Ferroviária SA

Nessa semana traremos um dos maiores cases de sucesso da história do futebol feminino brasileiro. Iniciado em 2001, o projeto da Associação Ferroviária de Esportes denota um valor inestimável para o fomento da prática da modalidade feminina, transformando o clube em referência no esporte que se traduziu em grandes conquistas ao longo dos anos.

Diferente da maior parte das equipes femininas de futebol, as Guerreiras Grenás, trabalham sob regime de CLT e com aporte financeiro que vem desde a base. Numa conjuntura onde muitas jogadoras sofrem com a instabilidade financeira e falta de apoio, vê-se, além de uma estrutura física invejável para trabalho, que para as atletas do time de Araraquara existe o amparo necessário para que se busque a excelência dentro de campo sem que demais questões exteriores venham a atrapalhar a prática esportiva.

Multicampeãs estaduais, nacionais e, inclusive, da Taça Libertadores de 2015, a Ferrinha está sempre no topo das principais competições e foi um dos três clubes indicados para o prêmio de “Melhor Projeto de Futebol Feminino 2019” pelo CONAFUT. Trata-se de um grande reconhecimento por todo trabalho empregado pela instituição esportiva que demonstra, acima de tudo, um extremo comprometimento com a modalidade.

Como já é rotineiro, a Ferroviária possuía grandes aspirações para 2020 dentro das quatro linhas. As atuais campeãs brasileiras e vice da Libertadores encontram-se na primeira posição do Campeonato Brasileiro, com 4 vitórias em 4 jogos. Entretanto, com a interrupção do campeonato, justamente na rodada onde ocorreria o grande clássico contra o Corinthians, teremos que esperar para assistirmos esse grande espetáculo. O que sabemos é que, independente do que venha a ocorrer, as Guerreiras Grenás sempre serão uma das principais postulantes ao título.

Edição: André Chagas / Fernanda Barros – @turbilhaofeminino

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui