Foto: Van Campos

O quadro de entrevistas, Sócia Atleta, entrou de férias junto com as jogadoras. Mas enquanto as feras curtem as merecidas férias, decidimos relembrar e fazer uma merecida homenagem as atletas que cederam entrevista. E para começar, o papo com a xerife do Palmeiras, a zagueira Thaís Ferreira. A jogadora que foi campeã da Copa Paulista Feminina 2019 e que renovou recentemente seu contrato com o Palmeiras cedeu entrevista para o Turbilhão no dia 6 de novembro de 2019.

Sua paixão pelo futebol começou ainda criança quando jogava com os meninos na rua, “desde criança me interessei, acompanhava meu pai muitas vezes para assistir jogos, e assim que ele percebeu o interesse me colocou em escolinha para a prática da modalidade. E assim minha paixão aumentou mais ainda”.

Foto: Van Campos

Hoje zagueira, a xerife do alviverde começou no campo como volante, mas também já jogou no meio-campo. Ela começou na escolinha com 8 anos, “logo depois entrei para o time do Guarani (futsal), de lá comecei a treinar no time de Valinhos com a treinadora Ana Lúcia, que em 2016 fez parceria com o Guarani, depois disso ela me chamou para jogar pela Ponte Preta onde ficamos nos anos 2017/2018, e no final de 2018 me chamou para jogar a libertadores representando o Audax”, completa a jogadora.

Depois que Ana Lúcia assumiu o Palmeiras, a jogadora foi convidada pela treinadora para compor o time nesta temporada. ” Ao me fazer o convite a Ana me falou de toda estrutura e todo apoio que nos seria dado, algo que me impressionou muito e que se diferencia entre as estruturas dadas em outros clubes do Brasil, então optei por defender essa camisa”, destaca Thaís.

Foto: Van Campos

Quando perguntada sobre o crescimento da modalidade no Brasil, a xerife do alviverde foi categórica: O futebol feminino atualmente vem em uma crescente boa, ainda não é excelente e está bem longe de ser, mas temos dados alguns passos importantes, são pequenos mas nos dá a esperança de que siga evoluindo. Ainda temos muitos pontos negativos e isso é um fato, atrasa e muito o crescimento. Precisamos de profissionais competentes, honestos e que façam boas gestões nos clubes de futebol feminino, para que possamos colher frutos e consequentemente evoluir”.

Para fechar, confira o depoimento da jogadora sobre o acesso do Palmeiras a Série A1 e o título da Copa Paulista, dois momentos históricos do clube.

“Quando aceitei o convite para fazer parte do elenco sabia a responsabilidade que tínhamos em fazer uma boa temporada, colocar o Palmeiras na elite do futebol feminino e ganhar títulos com essa camisa. Trabalhamos incessantemente para conquistarmos o acesso e foi algo magnífico, um reconhecimento depois de tanto esforço. Porém ainda estávamos com um gosto amargo, nosso elenco merecia um título e tínhamos isso em mente, quando anunciaram a criação de um novo campeonato ficamos felizes por aumentar o calendário feminino e por termos mais uma oportunidade de levantar uma taça nessa temporada. Foi maravilhoso demais, sensação única e gratificante poder conquistar um título inédito no futebol feminino e na nova era do Palmeiras”.

 

 

Assessoria: WP Assessoria
Gestão: Almeida Sport
Edição: Fernanda Barros / @barrosfernandaoficial

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui