Foto: Pietro Carpi/ECV

@Resenhanarede

O inicio do Vitória na Série B 2020 tem sido promissor. Se comparado com o desempenho da temporada passada, em que o Leão precisou de 10 rodadas para ultrapassar os quatro pontos na tabela, o torcedor fica mais otimista ainda. Em nove pontos disputados, o Vitória ganhou cinco, fazendo duas partidas fora de casa. O desempenho tem sido reflexo da ousadia do treinador Bruno Pivetti.

O interessante da postura tática do Vitória, principalmente ofensivamente, é a função dos pontas. Nas duas primeiras partidas, Vico explorou muito bem a parte do corredor adversário. Função repetida magistralmente pelo Mateusinho na partida contra a Ponte Preta. Contudo, Pivetti ainda não encontrou quem faça essa função de forma eficiente do lado esquerdo, Eduardo deixou a desejar contra a Macaca e Alisson Farias não atende. É verdade que Eduardo precisou se sacrificar contra a Ponte Preta, auxiliando o lateral Thiago Carletto nas investidas do rápido Apodi.

O sistema defensivo do Vitória ainda carece de ajustes, os três gols tomados contra a Ponte Preta revelam isso. Todas as três oportunidades marcadas pela Macaca foram frutos de falhas bisonhas de marcação. O volante Guilherme Rend melhorou absurdamente na segunda etapa. Contudo, assim como na partida contra o Figueirense, Fernando Neto precisou se sacrificar bastante para ajudar o garoto.

Ponto positivo para Bruno Pivetti é a variação de peças. Fora a ausência do zagueiro Maurício Ramos e dos laterais Van e Léo, o treinador precisou buscar no elenco, que é tido por muitos como fraco, substituições para Alisson Farias e Vico. Ou seja, o Vitória tem correspondido mesmo com um time alternativo.

Colaborador: Osvaldo Barreto.

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui