Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

“Eu vou dar uma queixa na Polícia! Eu quero ver você lá na prisão porque você roubou meu coração”, os versos do itabunense Neto LX poderiam muito bem ser adaptado para Gregore e Yuri, dois jogadores que pertencem ao Bahia e, juntos, realizaram 229 roubadas de nas Séries A e B. Os dois ladrões de bola não atuam juntos porque Yuri está emprestado ao CSA, enquanto Gregore defende a camisa Tricolor desde o início deste ano e é um dos destaques do time na temporada. Só na Série A, ele já roubou 116 bolas – é o líder no quesito.

Já Yuri está emprestado ao CSA até o fim de 2018 e disputa a Série B pelo time alagoano que faz campanha surpreendente até aqui: ocupa a segunda colocação e está a um jogo de conseguir o acesso para a elite do futebol brasileiro. Muito devido ao desempenho de Yuri, que já roubou 113 bolas na Série B e, assim como Gregore, lidera o ranking de ladrões de bola na competição que disputa.

116 bolas

Gregore roubou na Série A

113 bolas

Yuri roubou na Série B

 

Foto: Pei Fon / Portal TNH1

A trajetória de Gregore no Bahia foi contada pelo Resenha na Rede durante a última semana em um comparativo com outro jovem que vem se destacando nas “volâncias” baianas: Léo Gomes. Gregore usa camisa 26 do Tricolor e é titular absoluto desde que pisou no Fazendão.

O curioso é que o volante sequer foi contratado para o time principal do Bahia: quando chegou, os planos eram de que Gregore se juntasse ao time sub-23 do Tricolor, que disputaria o Brasileiro de Aspirantes mais à frente. Mas não foi o que aconteceu. Na carência de volantes com mais pegada já que Nilton começou o ano muito aquém das expectativas, Gregore foi imediatamente integrado ao time que na época era comandado por Guto Ferreira – e ele respondeu muito bem. Hoje, a dúvida sempre gira em torno de quem atuará ao lado do volante de 24 anos. Nilton, Flávio, Edson e Elton que se virem atrás da vaga.

O camisa 26 chegou ao Bahia por empréstimo junto ao São Carlos, time do interior paulista. Na última temporada ele atuou pelo time B do Santos – a equipe que disputa o Campeonato de Aspirantes, também por empréstimo ao time do litoral paulista, que não quis exercer o direito de compra e abriu uma brecha para o Bahia. No seu contrato de empréstimo com o Tricolor, que era até o final de 2018, existia uma cláusula de direito de compra. Como Gregore se tornou um dos principais jogadores do elenco, o Bahia se adiantou na compra desembolsando cerca de 1 milhão de reais pelo volante, que teve seu contrato ampliado para, assim como Léo Gomes, o ano de 2021.

Imagem relacionada
Além de ser o maior ladrão de bola do Brasileirão, Gregore também é um dos que mais bate: já foram 107 faltas cometidas. Yuri é bem menos faltoso e cometeu apenas 56 faltas. Foto: Felipe Oliveira

Yuri chegou ao CSA em dezembro, por empréstimo do Bahia. Queria retomar a carreira aos 24 anos após passar por momentos difíceis: foram duas cirurgias no joelho. A primeira em 2016, justamente após o volante fazer uma grande temporada pelo Bahia na Sére B de 2015, e a outra ano passado. Na última temporada, Yuri chegou a ser relacionado para o banco de reservas em cinco oportunidades mas não chegou a entrar em campo.

O volante nasceu no Rio de Janeiro, começou no Olaria e foi contratado para a categoria de base do Bahia. Subiu ao profissional em 2015 e chamou a atenção da diretoria durante a Série B. Na época, o Tricolor comprou 70% dos direitos econômicos do atleta, que assinou contrato até 2018. Antes de ser emprestado para o CSA, o Bahia ampliou o vínculo com Yuri por mais um ano. Na temporada de 2019 ele deve ser aproveitado no elenco, já que a saída de Elton e Edson são dadas como praticamente certas.

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui