Foto: Jéssica Maldonado / Grêmio
parceiro oficial

Com passagens pelo São José (SP), Portuguesa (SP) e Foz Cataratas FC (PR), a centroavante Karol Lins passou a integrar o elenco Grêmio desde o mês de agosto da temporada de 2019.  Natural da cidade de Palmares (Pernambuco), a esportista teve a influência do pai quando o assunto é paixão por futebol, “desde criança tive esse prazer de querer jogar futebol. Meu pai sempre me levou nos campos próximos de casa e sempre me apoiou. A paixão por futebol só foi aumentando e se de desenvolvendo”, relembra a atleta.

Pernambucana, de 26 anos, a jogadora acumula em seu currículo status de campeã, tendo conquistado pelo São José os títulos do Campeonato Paulista (2012), Libertadores (2012) e Copa do Brasil (2012 e 2013). Vale destacar que a atleta, que em 2019 disputou o Campeonato Brasileiro Série A2 pela Portuguesa, nesta temporada encara com o Grêmio, a Série A1 e sua primeira missão será contra o Minas ICESP, no dia 9 de fevereiro, em Gravataí (RS).

Karol Lins que já atuou como meia na carreira lembra um início complicado até sua chegada ao Grêmio, “já passei por diversas dificuldades no meio do futebol e almejava muito jogar em um clube do tamanho do Grêmio. Hoje  atuar com esta camisa de peso é gratificante”. Para a atleta o preconceito ainda é uma barreira, “maior desafio hoje é enfrentar os preconceitos que ainda existem e a falta de valorização com o futebol feminino”, completa a jogadora.

Foto: Grêmio HQ

Quando foi anunciada pelo Grêmio, Karol Lins passou a integrar a equipe que disputaria o campeonato estadual, competição que terminou com a equipe garantindo o vice-campeonato, sobre isso a atleta admite, “não foi o resultado que queríamos ou esperávamos, mas em momento algum faltou foco, trabalho e profissionalismo”.

Mas agora é bola para frente porque a missão é a temporada 2020, “a expectativa que eu tenho para esta temporada é trazer o título do Brasileiro e poder ajudar a minha equipe da melhor forma possível”.

Seleção Brasileira? Quanto a isso Karol não deixa dúvidas: “Seleção brasileira é algo que almejo muito, acredito que seja o sonho de qualquer atleta de futebol poder representar seu país. Continuarei trabalhando forte para que se um dia eu tiver a oportunidade, abraçar a ideia”, finaliza.

 

*Edição: Fernanda Barros / @turbilhaofeminino

 

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui