Foi jogão, mas Bahia e Atlético-PR ficaram no 0 a 0

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Bahia e Atlético-PR fizeram um jogão na Arena Fonte Nova. Os dois times atenderam muito bem às suas propostas de jogo, foram boas partidas coletivas dos dois lados, mas ninguém conseguiu fazer o gol. Pior para o Bahia, que criou as melhores oportunidades do jogo -apesar da inferioridade na posse de bola-. O Tricolor chutou incríveis 23 bolas, sendo apenas 7 delas na direção do gol de Santos, arqueiro do Atlético-PR. Quando ele não parou o ataque, quem parou foi a trave.

Agora o Bahia “muda a chavinha” mais uma vez e foca na Copa do Nordeste, quando enfrenta o Botafogo-PB no estádio de Pituaçu. A alteração no mando de campo do Bahia é por conta de um evento que acontecerá na Arena Fonte Nova no próximo dia 05 de maio.

PRIMEIRO TEMPO

O Bahia entrou pilhado e com menos de 10 minutos já tinha chegado ao gol de Santos em duas oportunidades. Primeiro com um chute de Vinícius, logo com 4 minutos de jogo. O meia pegou uma sobra de bola na meia lua e tentou bater colocado, mas a bola foi pra fora. Três minutos depois foi a vez de Nino Paraíba dominar e soltar a bomba com a perna esquerda. A bola também cobriu o gol, mas assustou o goleiro do Furacão.

O Bahia se esforçou, mas conseguiu anular a proposta de jogo do time de Fernando Diniz: jogo cadenciado, sempre com a bola no chão e saindo em blocos. A marcação alta do Bahia foi efetiva e o Furacão teve dificuldades em sair jogando. E muitas vezes errava. Numa dessas saídas que o Bahia conseguiu abafar, Élber recebeu bola de Vinícius e bateu no gol. A bola foi forte, mas em cima do goleiro Atleticano, que pegou em dois tempos.

O Atlético só conseguiu ameaçar de verdade aos 18 minutos. Guilherme recebeu e chutou de longe, mas Douglas voou para fazer a defesa. Depois disso os times voltaram a se estudar bastante e a partida não teve muitos lances de gol, mas as duas equipes frequentemente rondavam as áreas do adversário. Numa dessas, aos 29 minutos, Zé Rafael recebeu, caiu, se levantou e conseguiu driblar o adversário antes de chutar forte com a perna esquerda. A bola desviou e foi na trave do goleiro Santos. Foi a melhor chance do primeiro tempo, que acabou zerado.

Edigar tentou, mas não conseguiu balançar as redes de Santos. O atacante ainda perdeu um gol “quase-feito” no segundo tempo após cruzamento de Zé Rafael. Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Antes do apito final da primeira etapa o Bahia teve a baixa de Rodrigo Becão. O zagueiro esticou a perna para cortar uma bola e sentiu na mesma hora. Foi substituído no intervalo por Éverson.

SEGUNDO TEMPO

O jeito que o primeiro tempo acabou deu esperanças de que a segunda etapa seria ainda melhor e que alguém conseguiria chegar a um gol. De fato o jogo cresceu, inclusive no número de oportunidades criadas, mas ninguém conseguiu mexer no placar da Arena Fonte Nova.

O Bahia cansou de perder gols na metade final do jogo. Logo com 2 minutos Élber chutou bem e parou em Santos. Aos 6 minutos veio a chance mais clara de toda a partida: o Atlético desceu com liberdade pelo lado direito do campo. Guilherme recebeu o cruzamento de Matheus Rossetto e bateu para o gol com Douglas vendido no lance. Zé Rafael salvou em cima da linha. O jogo ganhou em emoção e quatro minutos depois, aos 10, Santos fez duas defesaças. Primeiro em chute de Edigar Junio, que recebeu bom cruzamento rasteiro da esquerda e bateu chapado. O rebote ficou com Élber, que dominou desequilibrado, driblou o primeiro e bateu para nova defesa do goleiro do Furacão.

A partir daí o Bahia martelou muitas vezes e parou, apesar da excelente atuação de Santos, na própria incapacidade de definir. Teve chance com Zé Rafael de cabeça; um lance claro de Léo, que recebeu um excelente passe de Júnior Brumado e bateu mascado para mais uma defesa do goleiro do Furacão; e até conseguiu chegar a um gol com Éverson, mas ele estava impedido e foi bem anulado pela arbitragem da partida.

O Atlético ainda conseguiu chegar aos 38 minutos com Thiago Carleto, que cobrou falta no meio da rua e a bola explodiu no poste de Douglas. Mas uma hora o tempo iria esgotar: e foi o que aconteceu antes de qualquer um dos times balançar as redes. Fim de papo na Fonte Nova. Bahia zero, Atlético-PR 0.

O resultado deixa o time Tricolor na décima primeira posição com 4 pontos. O Furação segue no G4, ocupando o 4ª lugar com 5 pontinhos na tabela.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*