Roger elogia a torcida, fala em reforços e aprova Gilberto e Fernandão juntos

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

@Resenhanarede

Estreante da noite, o treinador do Bahia, Roger Machado, se mostrou satisfeito com o que viu em campo, no triunfo por 1 a 0 sobre o CRB, nesta terça-feira (9), na Arena Fonte Nova, pela Copa do Brasil. O técnico agradeceu o apoio e calor da torcida e também falou sobre reforçar a equipe para a disputa do Brasileirão.

“Estamos de parabéns. O torcedor muito mais. Aqueles que se sacrificaram em vir para o estádio. Gostei do que vi e saí feliz com a classificação”, afirmou Roger, que completou: “Uma das primeiras coisas que me disseram, era que nós tínhamos uma torcida calorosa, que ia nos empurrar, que o Bahia costumava fazer gols nos minutos finais. Não precisa ser todo jogo, ou mata a gente do coração. Acho que é um bom sinal”, contou.

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Vai pedir reforços?

“Temos um grupo qualificado. Como todo clube grande, está [Bahia] prospectando reforços, faz parte do planejamento. Esse grupo, acima de tudo, tem que ralar a bunda no chão. Jogar com intensidade. O torcedor tem que se ver representado”, explicou Roger.

Mas o comandante tricolor preferiu não citar nomes, nem posições. “Reforços tratamos de maneira interna. Gostei do que vi do meio para frente com as mudanças. Colocando o Fernandão, deixando Gilberto flutuar mais. No outro jogo, Cláudio fez a opção pela saída de Douglas. Hoje, entendi que não havia necessidade de diminuir a marcação”.

Projeção

Mas o técnico Roger Machado prega pés no chão e deixa euforia para a torcida do Bahia. “Difícil fazer projeção na chegada. Mas o que vi, me deixou animado. Ter um grupo de qualidade, não significa que vai atropelar os adversários. Quero que as projeções fiquem por conta do torcedor. A gente vai ganhar terreno jogo a jogo”, finalizou.

Rafael Tiago Nunes
Sobre Rafael Tiago Nunes 179 Artigos
Editor, colunista e setorista do Bahia.

2 Comentário

  1. Caso fosse eliminado, Roger pagaria hoje um alto preço deixado pela gestão do Enderson, onde o time se mostrou apático na maioria dos jogos no ano e até quando venceu não convenceu. Mas com um pouco mais de ousadia ele fez tudo diferente do ex comandante e colheu o fruto que precisava pra pelo menos equilibrar o emocional desse time em busca do título baiano, cuja final já é nesse domingo. A missão não será fácil, mas o primeiro passo foi satisfatório…BBMP

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*