Projeto social Filhos do Tatame chega a Arena Fonte Nova

Foto: Filhos do Tatame.

@Resenhanarede

A Arena Fonte agora conta com o projeto social Filhos do Tatame, liderado pelo instrutor Marcão, enfermeiro, socorrista e faixa roxa de Jiu-jitsu. O programa é uma extensão do centro de treinamento da equipe baiana Raiz Jiu-jitsu.

A ideia do projeto surgiu a partir de um pedido da filha de Marcão, que não via crianças no treino. “Sempre levei minha filha para o treino, desde os primeiros dias de vida no bebê conforto. Um dia chamei para treinar e ela recusou, pois não tinha ninguém do tamanho dela. A partir dai convidei a prima dela, foram surgindo mais crianças no treino e assim surgiu o projeto”.

Foto: Filhos do Tatame.

A maior parte da garotada que frequenta o projeto vem de família humilde e não possui condições de comprar o Kimono para realizar as aulas. Os primeiros materiais foram doados por amigos, médicos do hospital em que Marcão trabalha como técnico de enfermagem, além de apoiadores como o mestre Marcio Tucano. Por isso, ele entende que é muito importante o projeto ganhar a visibilidade da Arena Fonte Nova.

“Em menos de um mês de aula já tínhamos 14 crianças, mas treinávamos na academia onde eu tinha aula, mas os horários estavam chocando e meu antigo mestre sentiu insegurança em trabalhar com crianças, devido ao risco de acidentes. Daí, tive que decidir: sair da equipe ou tocar o projeto que era o meu sonho. Conheci um grupo da Arena Fonte Nova que estava selecionando projetos sociais do entorno. Contei a minha história, coloquei o projeto no papel e fui buscar apoiadores. Neste momento surge Ricardo Caldeira e Evandro Nascimento (Vovô), da Federação Baiana de Jiu-jitsu e fundadores da equipe Raiz Jiu-jitsu, que me deram total apoio e o tatame. Hoje temos o primeiro centro de treinamento de Jiu-jitsu dentro de uma Arena”.

A inscrições das primeiras crianças do projeto foram realizadas nos dias 29 e 30 de julho. As aulas acontecem toda terça e quinta-feira, às 15h30. Marcão planeja criar um novo horário pela manhã, para atender as crianças que estudam a tarde.

 

 

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*