Presidente do Jacobina critica arbitragem e revela que deixará o futebol: “Futebol não é lugar para pessoas que estão bem-intencionadas”

Rafael Damasceno, Presidente do Jacobina.

@resenhanarede

Após derrota em casa para o Atlético de Alagoinhas no último domingo (10) e uma confusão generalizada no final da partida, o presidente do Jegue da Chapada, Raffael Damasceno, revelou ao Resenha na Rede que deixará o futebol ao final do Campeonato Baiano.

Raffael disparou duras críticas à arbitragem da partida, a quem culpa pelos últimos resultados ruins da equipe.

“Não existe o que aconteceu ontem. Desde o jogo contra o Juazeirense também, o Bruno Vasconcelos, muito fraco mesmo. E ontem o árbitro Moisés, que é de Maracás, cidade vizinha a Jequié, a gente fica até com o pé atrás em relação a isso. Ele veio para aqui inverteu várias faltas, inventou falta a favor do Atlético. Ele aplicou cartão amarelo em jogador nosso sem necessidade, tumultuou a todo momento a partida. Um pênalti a nosso favor, ele não deu. Então, ele conseguiu desgastar bastante o jogo”, criticou.

Ele revelou estar bastante chateado com o futebol e revelou que irá abandonar a função. Segundo ele, o futebol “não é lugar para pessoas que estão bem-intencionadas”.

“Estou muito decepcionado com a arbitragem da Bahia, não pretendo continuar no futebol. Eu vou sair do futebol, porque eu enxergo que futebol não é lugar para pessoas que estão bem-intencionadas, em fazer crescer. A gente faz todo um trabalho, um planejamento, gasta muito, paga em dias, movimenta bastante para a sua vida ser definida pela arbitragem.  Fico triste porque, infelizmente, a arbitragem não tem nenhuma punição, o prejuízo é nosso. É muito triste, me sinto decepcionado com o futebol”, lamentou Raffael.

Foto: Glauber Guerra/BN.

O presidente do Jacobina também criticou o início do Campeonato Baiano da Série B, com a disputa da Série A ainda e andamento. Ele comentou que os jogadores estão sendo assediados pelos clubes que disputarão a divisão de acesso do Baianão.

“Essa segunda divisão começando em paralelo com a primeira, estamos sofrendo assédio dos clubes da Série B. Estão oferecendo dinheiro nas mãos dos atletas, para saírem do Jacobina, para pedirem a rescisão. Alguns já estão fechados com esses clubes, para depois do campeonato. Já estão com a cabeça pedindo rescisão. Perderam o foco totalmente da competição e isso acredito que não é só a gente, outros clubes também estão sofrendo isso. Paciência. Chamar por Deus e se for da vontade dele, vamos permanecer na primeira divisão. Senão, paciência”, declarou o presidente.

O Jegue da Chapada tem a dura missão de permanecer na elite do Baianão, ao receber o vice-líder Vitória da Conquista, no José Rocha.

Eduardo Dias
Sobre Eduardo Dias 295 Artigos
Colunista e repórter. Acompanha os times de futebol do interior da Bahia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*