Foto: LB Fut 7.
parceiro oficial

@Resenhanarede

O Futebol 7 vem ganhando diversos seguidores a cada torneio realizado e com o passar dos anos. Na Bahia não é diferente e times estruturados no futebol de campo têm levado seus nomes para as quadras de society. Vitória, Bahia, Ypiranga, Camaçari, PFC Cajazeiras, Atlântico, são alguns dos clubes que já disputam a modalidade em torneios realizados no Estado.

Com o objetivo de fortalecer o cenário da modalidade, foi criada em março de 2017 a Liga Baiana de Fut 7, fundada pelo presidente Coby, que foi líder do PFC Itapuã e por Alex, que esteve a frente do Ativos, clubes que disputavam as competições organizadas pela Federação Baiana de Fut 7, que realiza jogos na Arena Imbuí.

“Resolvemos sair da Federação por entender que acontecem coisas que não concordamos, como a falta de transparência. Entendíamos que a Federação não pode ser gerida por dono de equipes e deixei de ter meu time para trabalhar organizando as competições da Liga Baiana”, pontua Coby, hoje presidente da Liga Baiana de Fut 7.

Foto: LB Fut7.

A Liga Baiana de Fut 7 foi responsável por organizar quatro competições em 2017. Foram disputadas a La Liga (Arena Figas – Lauro de Freitas-BA), a Copa Ouro e a Recopa realizadas na Arena Salvador, localizada no antigo parque aquático na Paralela.

“Este ano fizemos a Eco Copa no primeiro semestre e agora a gente vai realizar a Copa Bahia Ícone Sports, que acontecerá novamente em Lauro de Freitas. Somos independentes, não temos ligação alguma com a Federação, alguns times que jogam aqui estão lá. Não queremos briga com ninguém, apenas desenvolver o nosso trabalho muito bem organizado e com transparência”

O Presidente afirma que disputou por quatro anos as competições organizadas pela Federação Baiana de Fut 7, mas um dos fatores que o fez abandonar foi a falta de projeção principalmente para os times menores.

“Não existe o interesse de se fazer uma projeção no Estado e nacionalmente, porque as competições que acontecem nacionais, as quais a Federação participa, os organizadores não aceitam times que não sejam tradicionais (Bahia ou Vitória), Camaçari vai disputar um campeonato nacional agora e não vai poder utilizar seu nome, parece que terá que usar o nome do Vitória e isso você só ver acontecer na Bahia, vemos equipes de outros Estados, que nunca ouvimos falar antes, disputando competições nacionais. Hoje parece que foi entregue (a Federação Baiana) a um grupo de assessoria esportiva e a gente não entende como não há um presidente na frente”, informa Coby.

Segundo o Presidente da Liga o objetivo é o crescimento, mas mantendo os pés no chão promovendo competições bem organizadas.  “Em relação a chancela para competições nacionais é algo tranquilo, não existe só uma Federação de Futebol 7 na Bahia. Atualmente existe a que faz as competições no Imbuí,  a que faz as competições na Uneb, através de Diógenes e uma que não está promovendo campeonatos, que tem como presidente Etiópia e é a mais antiga”, revela ao Resenha na Rede.

Questionado sobre a necessidade de estar ligado a uma Confederação para poder participar de torneios nacionais e até mesmo internacionais, Coby se mostrou enfático: “Confederações no Brasil existem quatro, sendo que uma delas não exige que você seja filiado a nenhuma Federação para participar dos seus campeonatos, basta entrar em contato e obedecer as regras. Essa Confederação é séria e faz os campeonatos mais organizados do fut 7 e percebe-se que eles não visam só lucrar”.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui