Presidente da Copa do Nordeste descarta fusão com Copa Verde

Foto: Reprodução.

@Resenhanrede

De acordo com a imprensa paraense, o Remo e o Paysandu têm se movimentado nos bastidores para buscar a união entre a Copa Verde e a do Nordeste, tendo em vista o enfraquecimento do torneio que envolve o Norte e o Centro-oeste e o crescimento da competição nordestina. Contudo, em entrevista ao Resenha na Rede, o presidente da Copa do Nordeste, Eduardo Rocha, afastou a possibilidade.

“Primeiro, modestamente vejo como um reconhecimento a nossa competição regional. O que por óbvio envaidece um pouco a todos que há muitos anos abraçaram a ideia que hoje é realidade. Todos, sem exceção: clubes, CBF, Federações e a imprensa, mormente a do Nordeste. Em segundo lugar, isso só seria viável com um grande aporte financeiro que teria que existir porque o bolo é um só e por óbvio que os atuais disputantes não têm. Porque aceitar dividir o que a duras penas foi construído? E por último nunca fomos procurados formalmente”, pontuou.

Representante nordestino, o presidente do Vitória, Paulo Carneiro, também descartou, ao Resenha na Rede, qualquer intenção de que aja a união entre as Copas. “Isso não vai acontecer! Nós não queremos um campeonato desse tamanho, pois o prejuízo é proporcional ao tamanho”, disse.

Eduardo Rocha destacou também a sua confiança para mais uma Copa do Nordeste forte em 2020. “Esse ano teremos uma competição que quebrará vários recordes, de recorde de público e de arrecadação. Teremos diversos clássicos, pois as chaves são divididas exatamente dessa forma. O Bahia está de um lado e o Vitória de outro, assim como América-RN e o ABC, CRB e CSA, Fortaleza e Ceará. Pernambuco terá três grandes, o Sport ficou em uma chave e o Santa e o Náutico em outro. Teremos uma proporção de clássicos, fora os jogos das quartas, semi e final.

Colaborador: Osvaldo Barreto.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*