#NinguémPediuSuaOpinião: O Nei que não deu certo. Não, pera…

O Brasil que eu quero é o Nei fazendo gols. Não disse o qual. (Foto: Reprodução: ECV)

Nesta quarta-feira o Vitória recebeu a Chapecoense no Barradão. Era um duelo de duas das piores defesas do campeonato. O Leão levou a melhor sobre a Chape e deixou a tão indesejada zona de rebaixamento, o famoso Z-4, para quem já é mais íntimo. Na partida, mais uma vez, o menino Nei salvou o time rubro-negro com um golaço. Em um ano conturbado, cheio de polêmicas e eliminações, Neilton vem sendo o jogador mais regular no elenco.

O ‘Nei’, que não é o da Marquezine, aquele outro, que era cotado, na época de base do Santos, como novo Neymar, foi lançado à equipe profissional para suprir a ausência do atacante santista que embarcara para Barcelona. O jovem Neilton teve grande destaque nas categorias de base do time da vila. Conquistou títulos importantes como: Campeonato Paulista Sub-20, em 2012, e a Copa São Paulo Jr., em 2013, se destacando nas partidas de semifinais, contra o Palmeiras, marcando os três gols da vitória do peixe por 3 a 2, e na final da competição, contra o Goiás, pelo placar de 3 a 1, onde marcou um dos gols do jogo que deu o título ao Santos, que não vencia a copinha desde 1984.

Estreou no profissional no dia 21 de março de 2013, em um jogo contra o Mirasol, válido pelo Campeonato Paulista. Seu primeiro gol com a camisa do Santos não foi em um dos melhores jogos do peixe, veio numa derrota por 3–1 contra o Criciúma. Seu vínculo com o Santos expirou em maio de 2014 e não houve acordo para renovação. No total foram 20 jogos e 4 gols pelo time da vila.

Na época de Santos, Neilton era cotado para ser transferido para o Tottenham. (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Após a saída do peixe, Neilton rodou por algumas das principais equipes do Brasil. Primeiro, foi contratado pelo Cruzeiro, em 2014, com contrato até meados de 2017. Atuou em 9  partidas e marcou apenas 1 gol pela equipe celeste. O jogador não tinha uma boa condição física, pois se recuperava de uma lesão no tornozelo direito, passou por um planejamento de reforço muscular antes de ficar à disposição do técnico Marcelo Oliveira, com quem conquistou, no mesmo ano, o maior de titulo até então de sua carreira, o Campeonato Brasileiro, mesmo sendo reserva durante toda a campanha e com poucas atuações.

Neilton foi pouco aproveitado no Cruzeiro. (Foto: Reprodução)

Após a saída de Marcelo Oliveira, e a chegada do ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo no Cruzeiro, Neilton não teve tantas oportunidades e foi emprestado ao Botafogo, com o qual conquistou o título da Série B do Campeonato Brasileiro, garantindo a volta da equipe alvinegra à Série A no ano seguinte. A passagem pelo time da estrela solitária foi uma das mais expressantes de Neilton. Entre 2015 a 2016, aturou em 72 partidas e marcou 18 gols.

Ricardo Gomes, técnico do Botafogo na época, rasgava elogios a Neilton: “É um garoto muito inteligente” (Foto: Celso Pupo/Fotoarena)

Na passagem pelo tricolor paulista, em dezembro de 2016, o jogador novamente não fez boas atuações e foi devolvido ao Cruzeiro, encerrando seu contrato de empréstimo. Com a camisa do São Paulo, fez 11 jogos e não marcou gols.

Em mais uma passagem apagada, Neilton foi devolvido ao Cruzeiro pelo São Paulo. (Foto: Reprodução/Gazeta Press)

Fiz esse arrodeio todo apenas para comparar o desempenho do menino Nei aqui, no Vitória, com os outros clubes que atuou. Em 2017, seu primeiro ano no Leão, o atacante atuou em 60 partidas e marcou 25 gols, marca superior a deixada em seus ex-clubes. Na temporada 2018, possui 33 jogos e 18 gols marcados.

Foi no Vitória que Neilton reencontrou seu bom futebol. (Foto: MAURÍCIA DA MATTA)

Considerado pela crítica esportiva baiana como o melhor jogador do Vitória na temporada, Neilton vem mostrando um bom futebol nas partidas desde o ano passado. Quando ele vai bem, o time vai bem. É sempre assim. E hoje não foi diferente. Para muitos, Nei não passa de uma aposta frustrada de substituto de Neymar, mas para a torcida do Vitória, é o camisa 10 que há muito tempo não se via por aqui, com boa qualidade no passe e boa finalização. Esse é o Nei que queremos.

 

 

Eduardo Dias
Sobre Eduardo Dias 105 Artigos
Estudante de Jornalismo (Estácio). Colunista e Repórter do interior.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*