Novo reforço do Bahia garante que clube briga por pelo menos dois títulos em 2018

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

O volante de 30 anos é tricampeão brasileiro e foi anunciado pelo Bahia na tarde de ontem, 03.

O reforço mais conhecido e vitorioso que o Bahia trouxe até agora sem dúvidas é o volante Nílton. Tricampeão da Série A, bicampeão da Série B e campeão da Copa do Brasil são apenas alguns dos títulos conquistados pelo mato-grossense que será responsável por iniciar as jogadas e auxiliar o setor de marcação do tricolor. Na tarde desta quinta-feira, 04, ele foi apresentado à imprensa em coletiva convocada pelo clube no Fazendão. Diego Cerri foi o responsável pelas boas-vindas e falou da satisfação em contar com o atleta.

– [Nílton é um] Jogador que tem uma história grande no futebol. Vem do Japão, nós repatriamos e é um grande orgulho pra nós trazê-lo de volta. Torcemos para que ele tenha o sucesso que teve em outras equipes e damos as boas vindas ao Bahia. – afirmou Cerri antes de entregar uma camisa do clube para Nílton e passar a palavra para o volante.

Diego Cerri apresentou Nílton em coletiva de imprensa. Após falar um pouco sobre o jogador, entregou uma camisa tricolor ao novo postulante a Xerife do Esquadrão. Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Já com o poder da palavra, Nílton mencionou sobre a alegria de voltar ao futebol brasileiro após duas temporadas no Vissel Kobe, do Japão, e se mostrou confiante para a temporada que inicia em catorze dias, quando o Bahia faz a sua primeira partida do ano, contra o Botafogo-PB em jogo válido pela primeira rodada da Copa do Nordeste.

– Almejo sempre títulos. Eu gosto de metas, eu gosto de buscar. Esse é meu intuito, minha motivação e aqui não vai ser diferente. Nós temos condições de buscar dois ou três títulos no ano sim. Pela força, pela intensidade que o Bahia vai entrar nos campeonatos.

Ele também falou sobre a cobrança que terá por conta de seu currículo vencedor e garantiu que gosta do calor da torcida no dia-a-dia do clube. Este foi, inclusive, um dos fatores que o trouxeram de volta ao Brasil.

– Eu sou acostumado com cobranças. É sempre bom, é isso que me motiva. Foi esse um dos fatores que me trouxe de volta. Me entusiasma aquela coisa de querer sempre mais. Tinha isso no Japão, mas a gente sente falta do calor do torcedor, do abraço e até das cobranças. Eu gosto de fazer promessas, estipular metas. Sem essa cobrança acho que não conseguiria o êxito que alcancei na minha carreira. Já consegui conquistar títulos que já mais pensei em conquistar. Hoje com 30 anos e fôlego de garoto [risos] a gente sempre tenta dar o máximo de si dentro de campo e não tenha dúvida que tudo que precisarem dentro do campo eu estarei a disposição para ajudar.

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

No ano de 2015, quando atuava pelo Internacional, Nílton foi flagrado no exame antidoping juntamente com o volante Wellington. Os dois foram condenados a seis meses de suspensão, com pena retroativa por já estarem cumprindo, na época, uma suspensão preventiva que durou um mês. Durante o julgamento, Nilton alegou que nunca houvera recebido uma palestra sobre doping e que toda a responsabilidade caía sobre os jogadores.

– Nenhum jogador gosta de ficar afastado. Fiquei 6 meses fora, tive muito apoio de meus amigos. Graças a Deus fiz bons amigos nos clubes que passei, que me deram muito apoio. Minha família também ajudou a ter a cabeça no lugar. Acho que 80% do jogador é ter a cabeça no lugar e eles foram importantes nesse momento. Passado esse período consegui retornar a jogar e logo em seguida tive esse convite do futebol japonês, fiquei muito feliz porque eu almejava essa saída. Tive a oportunidade de quase ter concretizado uma ida para Inter de Milão, não foi fechado, mas águas passadas. Consegui estar indo lá [ao Japão] fiz bons jogos, conseguimos a melhor campanha do Vissel Kobe na história, aprendi uma cultura maravilhosa, futebol dinâmico, houve muita evolução. Foram dois anos maravilhosos pra mim e acabei retornando aqui hoje para dar o máximo pelo Bahia, dar o máximo de mim, como fiz em todos os clubes por onde passei.

Vinicius Nascimento
Sobre Vinicius Nascimento 269 Artigos
Colunista e repórter. Setorista de Bahia e Vitória. Repórter do jornal Correio.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*