Foto: Felipe Oliveira/ECB.

@Resenhanarede

Em janeiro de 2019, a torcida do Bahia comemorou a brincadeira utilizada pelo presidente Guilherme Bellintani para noticiar a contratação de Fernandão: -“Jorrou petróleo no Fazendão!-, cravou o clube em suas redes sociais. Segundo o mandatário, para que o clube conseguisse fechar a negociação, foi necessário desembolsar R$4,5 de reais e buscar o jogador no Al-Wehda, da Arábia Saudita. Valor pago em um espaço de dois anos e com ajuda de um patrocinador, considerado a compra mais cara da história do Tricolor.

De lá para cá, foram 48 jogos disputados e 13 tentos anotados. A partida contra o Jequié, no Campeonato Baiano,foi um prenuncio de decisão acertada da diretoria, afinal o jogador marcara quatro gols, na goleada por 5 a 0. Por três vezes na temporada, Fernandão ficou um mês ou mais sem conseguir balançar as redes e em nenhum momento conseguiu se firmar como titular da equipe. Durante o Brasileirão, somente em três oportunidades jogou duas partidas seguidas. Fatos que fizeram com que o torcedor fosse perdendo a esperança no centroavante.

Ao longo da temporada, a forma física de Fernandão chamou atenção de forma negativa. O jogador, que sempre teve uma estrutura física grande, demonstrava lentidão e um certo sobrepeso, por algumas vezes foi questionado, mas em todas as oportunidades negou a falta de empenho para entrar em forma.

“Estou totalmente diferente do Fernandão de 2013. A idade vai chegando, o corpo já não é o mesmo, mas a vontade é a mesma. A gente sabe que na minha posição hoje é difícil manter os 90 minutos e dar o máximo, atuar da melhor forma. Enquanto estiver em campo, vou dar o meu melhor. Quando ver que não dá mais, que vou atrapalhar o grupo, peço para ser substituído. Para não ficar com um a menos. A comissão técnica sabe da minha dedicação, do meu empenho. Independente dos 90 minutos ou não, eles têm a confiança em mim”, disse em entrevista coletiva.

O FUTURO

Tendo Fernandão e Gilberto na equipe, o Bahia não indicou movimentação para contar com mais um “camisa 9”, nem mesmo que vai se desfazer de algum dos centroavantes. Fernandão não foi cobrado de forma contundente durante a temporada 2019, mas no próximo ano precisa justificar dentro de campo o investimento feito pelo Bahia. Gilberto precisa ter uma sombra real e um concorrente a altura. Apesar de saber que o centroavante não é aquele de 2013, a torcida do Bahia foi buscar no aeroporto uma esperança de gols.

 

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui