Jailton Malhadinho, de Brotas para o mundo do MMA

Foto: arquivo pessoal.

@resenhanarede

Dia 13 de julho Salvador receberá o evento de MMA Fight On, em disputa o cinturão da categoria meio-pesado. De um lado do ringue está o experiente Ednaldo Lula e do outro está a promessa do esporte baiano Jailton Junior ou simplesmente Jailton Malhadinho, 27 anos, natural de Salvador.

Faixa preta de Jiu-jitsu e amante do Boxe, Malhadinho conversou com a equipe do Resenha na Rede antes do confronto que pode lhe colocar em um novo patamar no mundo das lutas. O atleta tem um cartel com nove vitórias e apenas duas derrotas na carreira e vem de quatro resultados positivos, chamando a atenção de diversas companhias de MMA.

“Estou vivendo um momento esplêndido graças a Deus, está tudo dando certo na minha trajetória, e vivendo um melhor momento. Qualquer atleta vive um melhor momento, vindo de várias vitórias, vindo invicto. E a expectativa hoje é almejar e chegar em um evento grande. O Fight On sempre me deu essa credibilidade de participar dos eventos e mais uma vez eu fui gratificado em disputar o cinturão do evento”, disse Jailton.

O lutador é nascido e criado em Salvador, mais precisamente no bairro de Brotas e teve no boxe o seu primeiro contato com o mundo da luta, com o exemplo surgindo dentro de casa. “’Iniciei na carreira da luta através de meu pai, meu pai foi lutador de boxe e eu tentei trilhar esse caminho dele. Na verdade eu comecei fazendo boxe com ele, mas também não gostava de treinar, e ai conheci o Jiu-jitsu”, revelou.

Foto: arquivo pessoal.

Malhadinho foi além de somente conhecer a arte suave e hoje é faixa preta da modalidade. Uma das principais características do atleta é buscar a finalização em suas lutas, como se diz na gíria uma forma de “lutar em casa”.

’Do Jiu-jitsu eu migrei para o MMA. Comecei no Jiu-jitsu com 11 anos de idade, com o mestre Leonidas Godin (LG System) e quando completei 16 anos, iniciei no Muay thai com o mestre o mestre Minotaurinho. se da para finalizar, finaliza, quando não dá para finalizar, acaba no ground and pound. O jiu-jitsu em minha vida foi um esporte que eu critiquei e hoje sou formado em faixa preta”, confidenciou o atleta.

A última derrota na carreira foi no dia 28 de janeiro de 2018, quando enfrentou Bruno Assis e perdeu por decisão da arbitragem.De lá para cá foram quatro vitórias e todas sendo decididas no primeiro round. “Eu tive uma derrota no passado, perdi para o Bruno Assis no evento Shooto. A cada derrota que você sofre não é  um aprendizado. Então, aprendi várias coisas tipo estratégias de jogo, se não deu certo neste jogo, vamos partir para outro. É isso que eu ganho de lição. Derrota para atleta não existe, existe aprendizado”, pontuou.

Foto: arquivo pessoal.

Se ainda não chegou no UFC, maior evento da categoria, Jailton Malhadinho agora terá a oportunidade de enfrentar um casca grossa que já esteve lá. Ednaldo Lula teve duas lutas no grandioso evento, mas não conseguiu a vitória, em sua última apresentação, em dezembro do ano passado, pelo Federação Fight 9, venceu por nocaute Douglas Silva.

“Na verdade qualquer tipo de modalidade, você encara com um objetivo de querer chegar nos melhores lugres, então o UFC é como se fosse uma Liga do Campeões para a gente que é atleta. E lutar com ex-UFC é muito gratificante, a oportunidade que eu estou tendo, queria até a agradecer ao meu adversário por ter me dado essa oportunidade para a gente fazer esse espetáculo no dia 13, lá no Espanhol. E com fé em Deus, vamos conseguir essa vitória e almejar eventos maiores, até o próprio UFC mesmo, com fé em Deus a gente vai chegar lá”, afirma Malhadinho.

Jailton Malhadinho vive o melhor momento da carreira e este novo desafio pode lhe credenciar para maiores desafios na carreira. O mundo do MMA estará de olho na luta que acontecerá em solo soteropolitano.

Entrevista realizado pelo colaborador Osvaldo Barreto.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*