Federação de Karatê Shotokan da Bahia realiza seu primeiro campeonato baiano

Foto: Reprodução

Ao completar um ano de existência, a Federação de Karatê Shotokan da Bahia (FKSB), realiza neste domingo (28,) o 1° Campeonato Baiano de Karatê Educacional, que será sediado no Ginásio Municipal de Lauro de Freitas – BA.

Evento irá contar com aproximadamente 300 pessoas, entre elas atletas e familiares, iniciando a partir das 09h, com as categorias masculinas e femininas de Kata (movimentos que idealizam uma luta imaginária) e Kumite (combate entre os atletas), individual e em equipe; além de contar com uma categoria especial direcionada para a participação de portadores e necessidades especiais que pratiquem o esporte.

Foto: Reprodução

A Federação foi criada pelo professor; faixa preta 5° Dan, Ricardo Cabral, que atua como seu atual presidente e o professor; faixa preta 3° Dan, Anderson Carlos, diretor técnico da associação, que está filiada a Confederação Educacional Brasileira de Karatê (CEBK), a Federação baiana tem como objetivo principal à formação do caráter do indivíduo, através da prática intensiva do esporte.

Objetivo principal da federação é proporcionar o desenvolvimento integral dos alunos, com a perspectiva da formação do caráter do individuo.

No ano de 2019, algumas competições já estão traçadas no calendário da Federação, além do Campeonato Baiano Educacional, haverá a 4° Copa Norte-Nordeste, 7° Copa Okinawa, Campeonato Brasileiro, dentre outros eventos;

A partir do ano de 2016 o Karatê ganhou o direito de participar dos Jogos Olímpicos de 2020, que será realizado no Japão, sua terra natal, mas ainda é preciso  muita articulação para se tornar efetivo nas Olimpíadas, para isso, Anderson Carlos acredita que a organização seria a base dessa conquista.

Em relação às olimpíadas, que o Brasil faça uma grande participação, que traga muitas medalhas para nosso país, é claro que eu venho destacar que o karatê ainda não é um esporte olímpico, é um esporte em processo de desenvolvimento, mas que necessita ter participação em três olimpíadas para se tornar olímpico; infelizmente isso ainda não aconteceu pela falta de organização pela falta de organização das instituições existentes, tanto nacionalmente quanto internacionalmente.

Foto: Reprodução

Evento é aberto ao público e conta com a participação de atletas de diversas idades, para os amantes do esporte e curiosos, poder ser uma forma interessante de adquirir conhecimento e cessar algumas curiosidades sobre a prática que tem alta significativa nos últimos anos na Bahia.

Carol Ribeiro
Sobre Carol Ribeiro 157 Artigos
Repórter. Faz a cobertura do esporte amador na Bahia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*