Na sequência do especial referente ao mês das mães, foi a vez de falar com a Dona Ester, mãe de Júlia Moreira, joia da base do Atlético MG. Como não poderia ser diferente, mais uma vez, o contato resultou na comovente carta aberta a seguir:

“Júllia,

Desde pequena você  já demonstrava certo interesse pela bola. Sempre queria ir com o pai para vê-lo jogar uma peladinha. Aos 4 aninhos de idade, quando você foi pra escola, começou a interagir na Educação Física jogando bola junto com os colegas. Mais tarde, com 6 anos, na própria escola, começou a treinar futebol com uma turminha de meninos sendo a única menina. Desde então, sua nova/velha paixão (o futebol) nunca mais parou de fazer parte das nossas vidas, e eu sempre te acompanhando!

Todos os momentos da sua trajetória foram incríveis. Vibramos sempre que você entra em campo pra jogar.  Dificuldades sempre teremos, mas nunca deixaremos isso abalar os seus sonhos. Na medida do possível, sempre vamos tentar, de alguma forma, realizá-los.

Nossa família sempre te apoiou nesse percurso. Nunca fomos contra o seu sonho ou suas escolhas, pelo contrário, sempre a incentivamos. A única coisa que gostamos de frisar sempre é que você jamais deixe de estudar por causa do futebol. Estudo é fundamental.

Acervo Pessoal – Ester Alves

Você é nosso orgulho e sabe disso. Temos muito, muito orgulho mesmo de você, por você ser quem é, uma menina batalhadora, sonhadora, carinhosa , educada e, acima de tudo, tem o melhor com você, DEUS. Continue assim, sendo isso tudo e muito mais. A sua realização é a nossa felicidade. Desejamos-te toda sorte de bênçãos na sua vida e que Deus esteja com você a cada passo que você der. Nós te amamos muito!

Para todas as mães que têm filhas que sonham em serem jogadoras de futebol, incentive-as! É um esporte saudável, inofensivo e que pode dar as atletas um futuro brilhante.”

(Dona Ester – Mãe da jogadora Júlia)

Novamente, aproveitamos a ocasião para reafirmar a importância do apoio familiar e das pessoas mais próximas das atletas. Sobretudo, a necessidade do incessante auxilio à categoria de base por parte dos clubes, certos de que essa é uma condição fundamental para o desenvolvimento contínuo do esporte. Portanto, ainda bem que temos mães como a Dona Ester!

Colaboração: André Chagas/ Fernanda Barros – @turbilhaofeminino 

parceiro oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui