Com passagem pelo futebol internacional, Fabi Miguel, nova contratada do Bahia é destaque no Sócia Atleta

Foto: Acervo Pessoal - Fabi Miguel

Recém contratada pelo Bahia para reforçar o tricolor na temporada de 2020, a meia Fabi Miguel declarou que o fator que mais atraiu para fechar com o clube foi a estrutura que vem sendo montada para o futebol feminino, “nós que sempre reivindicamos melhores condições de trabalho, ter hoje uma estrutura de primeira como é a do novo Centro de Treinamento do Bahia é muito gratificante”. Sua posição de origem é meia de armação, mas já atuou como lateral e ainda, primeira e segunda volante.

Natural de Teixeira de Freitas (BA), assim como muitas meninas, começou jogando com os meninos. “Sempre jogava com meu irmão e os amigos dele que eram mais velhos que eu 2 ou 3 anos. Iniciei no futsal aos 10 em uma escolinha que eu era a única menina, aos 15 entrei para o time de futsal da minha cidade e disputei campeonatos estaduais e brasileiros”, relembra Fabi.

Foto: Acervo pessoal – Fabi Miguel

Em 2009, com 19 anos, Fabi Miguel teve a oportunidade de ir jogar futsal em Santa Catarina e dois anos depois fez sua transição para o campo, “foi no Vitória de Santo Antão, onde conquistei o estadual daquele ano. Os 3 anos seguintes passei no São Francisco do Conde (BA) onde conquistei 3 títulos estaduais e uma passagem pelo Bahia conquistando o vice campeonato baiano em 2013/14. Retornei ao Vitória de Santo Antão em 2014, onde ficaria até a metade de 2015, conquistando mais 2 títulos Pernambucano”, relembra.

No ano de 2015, Fabi teve a oportunidade de representar o Brasil no Mundial Universitário na Coreia do Sul e na sequência acumulou uma passagem pelo futebol internacional, “na mesma época surgiu a oportunidade de ir para o futebol universitário nos Estados Unidos. Um colégio em Nova York me proporcionou uma das melhores experiências dentro do futebol e com toda certeza me fez ter uma visão completamente diferente não só do futebol em si mas da vida”, completa a nova meia do tricolor baiano.

Um dos destaques do EC Olímpia (Lauro de Freitas – BA)  no Campeonato Baiano de 2019, ela lembra a experiência, “foi enriquecedora, pelos profissionais que conheci e amigos que tive a oportunidade de  fazer. Apesar de ser um clube novo, oferece uma boa estrutura para seus atletas trabalharem, tínhamos todo o suporte possível”, completa.

Foto: divulgação / CBDU

Quando o assunto é desafio em ser jogadora de futebol, ela declarou: “desde de sempre nós mulheres somos pré-julgadas em tudo que fazemos. Nossa capacidade de realizar algo sempre é questionada. No futebol não é diferente, o preconceito, a falta de apoio, a não valorização do nosso trabalho, sempre foram os nossos maiores adversários. O futebol feminino no Brasil vem crescendo, mesmo que a passos lentos. Fico muito feliz em ver um clube como o Bahia oferecendo uma estrutura de trabalho que alguns anos atrás não poderíamos nem sonhar em ter.”

Sua expectativa para a temporada atual no Bahia? “As melhores possíveis, por toda a estrutura que o Bahia oferece, pela comissão que provou sua competência, pelas atletas que fizeram parte da campanha do título estadual e também pelas meninas que assim como eu estão chegando para agregar ao trabalho que já vem sendo feito”, conta Fabi.

Sobre a Seleção Brasileira, Fabi Miguel lembra que sempre acompanhou a Seleção e como toda menina sempre foi um sonho atuar com a amarelinha, “nosso país tem muito talento. Muitos deles infelizmente passam despercebidos, mas nós trabalhamos sempre buscando o nosso melhor, e se um dia surgir a oportunidade ficaremos muito felizes”, finaliza Fabi.

 

*Edição: Fernanda Barros / @turbilhaofeminino

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*