Centro Esportivo Ribeira busca apoio para disputar competições de Vôlei de Praia

Foto: Divulgação

Formados em Educação Física, os professores e técnicos de Vôlei, Fávio Mendes, níveis 2 e 3, pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), e Carlos Correia, nível 1, mantêm juntos o Centro Esportivo Ribeira (CER), um Centro de Treinamento de Vôlei de Praia, no bairro da Ribeira, em Salvador. Por lá, 95% dos alunos treinam de forma gratuita.

Foto: Divulgação

Idealizador do projeto, o professor Flavio Mendes junto com seu amigo de infância e ex-atleta de vôlei, Carlos Correia, visam a disputa de competições como o Campeonato Baiano, Campeonato Brasileiro sub-19 e o Circuito do Banco do Brasil. Para isso, realizam ações para arrecadar fundos e disputarem estes e outros torneios de Vôlei de Praia pelo Brasil.

“Fiquei anos sem trabalhar com vôlei e Flavio, meu amigo de infância, me convidou novamente, pois precisava criar uma CT de vôlei de praia na Ribeira, com alunos de iniciação ao alto rendimento. Além de ser morador do bairro, a iniciativa de criar o projeto foi dele. Agora, estamos nessa labuta para revelar novos talentos do esporte”, explica Carlos.

O CER não possui patrocínios e conta com a ajuda de pais, amigos e alunos para conseguir os valores de R$ 166,00, equivalente a duas passagens para Fortaleza-CE para poderem disputar o Campeonato Brasileiro Sub-19 da modalidade.

Um exemplo de ajuda é o do aluno Ramon Santos, de 19 anos, morador do Loteamento Daniel Gomes, no bairro Jardim Nova Esperança, que vende picolés e faz diárias na praia como vendedor de cerveja para arcar com os custos da viagem.

“Conheci o vôlei no colégio, viajei em competições brasileiras, mas com certas dificuldades em questão financeira. Saio de casa três vezes na semana para treinar bem cedo no Centro Esportivo da Ribeira. O transporte é um fardo bem grande também, pois meu pai no momento está desempregado e eu o ajudo nas vendas de verduras também, assim minha mãe, que é domestica, sempre colabora também no transporte. Quero dar o máximo de mim, pois espero que futuramente colha bons frutos com o vôlei. Tenho a meta de ser um atleta de alto nível e conseguir uma bolsa de estudos”

Foto: Divulgação

Mesma situação vive outro aluno, Carlos Arthur, ex-morador de Canavieiras, no Sul da Bahia. Quando começou, aos nove anos, ele treinava vôlei por indicação de uma amiga. Iniciou num projeto chamado Viva Vôlei em sua cidade, depois passou pelo Clube Desportivo de Canes (CDC) até chegar no CER.

“No começo eu levava o vôlei como uma brincadeira qualquer, por ser apenas uma criança, mas comecei a me interessar mais e eu pensava: eu posso levar o vôlei mais a sério. Nisso, comecei a frequentar o Clube Desportivo de Canes (CDC)”, lembra.

Hoje morando em Salvador e treinando no Centro Esportivo Ribeira, ele conta qual a maior dificuldade de estar longe de casa.

“Uma das grandes dificuldades para mim é a falta da minha mãe nos treinos e jogos, porque ela é cadeirante e os ginásios nem sempre têm uma boa acessibilidade para ela entrar e sair a hora que ela quiser, sempre precisa de ajuda de alguém. Agora consegui treinar na ribeira com os professores Flavio e Carlos no CER, onde tenho um bom suporte, na medida do possível, e estou gostando muito”, comemora.

Como ajudar?

Para ajudar, basta fazer uma doação via depósito bancário, e ajudar a realizar o sonho de novos atletas.

Nome: Flavio Mendes
Banco: Banco do Brasil: Agência 2798-7  Conta 31917-1
Banco: Caixa Econômica: Agência 1449 – OP 013  – Conta 10977-7
Banco: Itaú: Agência 0697  – Conta 65227-9

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*