Caso Ba-Vi, 2º capítulo: Recurso será julgado nesta sexta-feira

(Foto: Margarida Neide/Ag. A Tarde/Futura Press)

O caso da confusão no primeiro Ba-Vi dessa temporada ainda não terminou. Mesmo o TJD-BA tendo feito o julgamento no último dia 28 e aplicado as devidas punições as quais estavam previstas pelo enquadramento dos atletas e o Esporte Clube Vitória, aquele não foi o desfecho final, mas sim o encerramento do 1º capítulo de todo o julgamento. O segundo capítulo será analisado e julgado ainda esta semana.

ENTENDA

Após o martelo ser batido e o julgamento ser finalizado, o Procurador Dr. Rui João se mostrou insatisfeito com o resultado final por julgar que as punições, de um modo geral, foram brandas e não atingiram o que era desejado pela Procuradoria, bem como pela sociedade e amantes do futebol – veja abaixo -. No dia posterior ao julgamento, Rui entrou com um pedido liminar para que o certame estadual fosse suspenso enquanto o recurso não fosse julgado pelo Pleno do TJD-BA, mas o pedido foi indeferido pelo Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia, Dr. Hélio Menezes, dando prosseguimento ao Campeonato Baiano 2018 que teve a sua fase de grupos encerrada na noite desta quarta-feira (07). O Tribunal Pleno do TJD-BA julgará o recurso da Procuradoria nesta sexta (9) às 18 hrs (Horário local).

“A Procuradoria, obviamente, não pode se sentir confortável com o resultado de um julgamento dessa natureza. Um clássico Ba-Vi que produz estragos nacionais e internacionais não pode ser apenado como manda a lei. As penas foram brandas, muito leves, que não representam o anseio nem da Procuradoria, nem da sociedade e muito menos de desportistas que gozam de respeito e que procuram buscar a ética no futebol. Com certeza absoluta, a Procuradoria irá recorrer”, afirmou o procurador.

O CASO

O julgamento da confusão ocorrida no clássico do dia 18 de fevereiro deste ano, foi realizado no último dia 28. Na ocasião 15 foram os denunciados, incluindo o Esporte Clube Vitória (instituição) que foi julgado por ter encerrado de forma proposital o clássico. Contudo a punição mais severa recaiu sobre o zagueiro rubro-negro Kanu, que pegou um gancho de dez jogos de suspensão no Campeonato Baiano. Entre os demais que foram denunciados, alguns foram absolvidos e outros punidos. Aqueles que foram apenados foram: Denilson, Yago e Rhayner (Vitória), e Edson e Rodrigo Becão (Bahia) com oito jogos de suspensão por agressão, bem como o Vinícius com dois jogos por provocação ofensiva à torcida rival, e o Esporte Clube Vitória com uma multa de R$100.000,00 (Cem mil reais) por ter encerrado a partida antes do previsto; Mancini, Ramon, Bruno Bispo, André Lima e Mário Silva foram absolvidos das acusações de terem provacado intencionalmente o fim da partida.

O RECURSO

O julgamento dessa sexta-feira (9), além de incluir a revisão das sentenças dos atletas supracitados e do treinador do leão da barra, também será avaliado um novo recurso do Esporte Clube Bahia. Este último solicita, novamente, a sua entrada no processo como terceiro interessado. A Procuradoria pede que as penas aplicadas no julgamento sejam sobrepostas pelo seu nível máximo, bem como as mesmas possam ser aplicadas em dias ao invés de jogos como é o caso. Desta forma, ao invés de serem dez, oito ou dois jogos de punição no Campeonato Baiano, as punições passariam a ser em dias, o que afetaria os atletas e os clubes envolvidos diretamente durante toda a temporada, um vez que poderiam chegar até 365 dias de suspensão ou mais.

Tacio Caldas
Sobre Tacio Caldas 14 Artigos
Direito como profissão, jornalismo por amor e futebol por paixão. Pelo esporte eu vivo e imparcialidade é meu nome. Rubro-Negro acima de tudo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*