Bahia vence no tempo normal, falha na disputa de pênaltis e dá adeus a Sulamericana

Fotos: Felipe Oliveira / EC Bahia

@ResenhaNaRede

Valendo vaga na semi-final ds Copa Sulamericana, Bahia e Atlético Paranaense se enfrentaram em uma partida bem disputada na noite desta quarta-feira (31), na Arena da Baixada, em Curitiba. No tempo normal, o tricolor venceu pelo placar de 1 a 0. Gol de Douglas Grolli. A decisão foi para as penalidades. O Esquadrão desperdiçou as duas primeiras cobranças, o Furacão acertou todas e ficou com a vaga.

Primeiro Tempo

Bahia e Atlético-PR fizeram um primeiro tempo disputadíssimo. Com o tricolor marcando por pressão durante os 30 primeiro minutos, o furacão se viu acuado dentro de seu estádio. Com o trio de ataque formado por Élber, Zé Rafael e Júnior Brumado, o tricolor teve poucas chances, apostando na marcação pesada no campo do adversário.

Mais uma vez contra o Furacão o Bahia teve um gol que não valeu. Desta vez, nem precisou do auxílio do VAR. Em roubada de bola de Zé Rafael, o bandeirinha marcou falta, mas antes do juiz paralisar a partida, Brumado mandou para o gol. O Atlético chegava nas jogadas de linha de fundo e de contra-ataque. Aproveitando o ótimo recurso do seu centro-avante Pablo, que deu trabalho a defesa tricolor nos minutos finais da primeira etapa.

No finalzinho, mais precisamente nos acréscimos, após jogada de escanteio que não resultou em um bom lançamento, a defesa atleticana mandou para lateral. Léo e seu insistente arremesso na área, fez  que tinha de ser feito e lançou, para ver no que ia dar, achou Nilton, que no bate rebate com a defesa a bola sobrou para Douglas Grolli marcar. Bahia 1 a 0.

A primeira etapa também foi marcada por muitas faltas e reclamações, que resultaram em cartões amarelos para os dois lados, inclusive para quem estava no banco como Vinícius.

Fotos: Felipe Oliveira / EC Bahia

Segundo Tempo

Na volta do intervalo, o Furacão voltou melhor, mesmo com a marcação sob pressão do Tricolor. A equipe paranaense começou os primeiros 15 minutos buscando o gol de empate. Com investidas pelas laterais, buscando sempre o goleador Pablo.

Após os 20 minutos, o Furacão começou a arriscar os chutes de longa distância. Douglas, o goleiro do Bahia, conseguia ir segurando o perigo na defesa. Após pressão do Atlético, Enderson resolveu sacar o centro-avante Júnior Brumado e promover a entrada de Edigar Junio, para dar mais velocidade ao ataque tricolor.

Aos 30 minutos, a partida começou a ficar morna, sem muitas chances para ambos os lados. Muitas faltas cometidas. Enquanto o Furacão era todo ataque, o tricolor apertava a marcação e começou a apostar nos contra-ataques. Com a partida se encaminhando para os minutos finais, o técnico do Bahia, resolveu trocar seis por meia dúzia ao realizar a alteração de Elton por Gregore. Com a mudança o tricolor ganha no poderio defensivo.

Ao completar os 45 minutos finais, o juiz  deu mais 4 minutos de acrécimos para a definição da partida. Mas ao apontar  centro de campo, ficou como na primeira etapa. 1 a 0 para o Esquadrão. A vaga será decidida nos pênaltis.

Penalidades

Nas cobranças, Zé Rafael e Vinícius perderam as primeiras batidas, já os atléticanos marcaram as 4 primeiras e saíram com a vaga. Agora o time paranaense vai enfrentar o Fluminense-RJ na semi-final.

 

Eduardo Dias
Sobre Eduardo Dias 319 Artigos
Editor, colunista e repórter. Acompanha as equipes de futebol do interior da Bahia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*