Bahia faz partida horrível, sofre além do esperado, mas avança na Copa do Brasil com ajuda do regulamento

Tricolor tem dificuldades diante do Rio Branco, empata em 2 a 2 em dia tenebroso de Élber e da defesa, mas passa de fase e agora vai encarar o Santa Cruz-RN

Foto: Nathacha Albuquerque / Divulgação

@Resenhanarede

Foi sofrido, foi feio, foi triste, foi preocupante, foi decepcionante… mas tá classificado. O Bahia jogou pedra em santo, tomou susto até o último segundo diante do fraco Rio Branco, empatou em 2 a 2 na Arena da Floresta, no Acre, e conseguiu a classificação por conta do regulamento da CBF, que dá a vantagem do empate para o melhor ranqueado. Na próxima fase, o Esquadrão vai encarar o Santa Cruz-RN.

Único nome da noite a se salvar, Gilberto fez os dois gols do Tricolor em jogadas de oportunismo, com cara de camisa 9. Por outro lado, Jackson, Lucas Fonseca, Nino e Moisés tiveram atuações tenebrosas. O gramado era péssimo, verdade, mas o futebol apresentado pelo sistema defensivo foi ainda mais assustador. Laércio e Custódio marcaram para o Estrelão.

Foto: Nathacha Albuquerque / Divulgação

O primeiro tempo do Bahia foi de extremos: começou com cara de goleada e terminou com um ofegante ufa! O Tricolor começou  o jogo como todos os outros na atual temporada, com posse de bola e muita, mas muita paciência. Mesmo com o gramado em péssimas condições, o time conseguiu, até determinado momento, controlar o jogo.

Mas aí começou o show de horrores de Élber. Aos seis minutos, o atrapalhado meia-atacante invadiu a área, driblou o goleiro Juninho e perdeu um gol incrível. O gol estava vazio e o atacante chutou para fora, longe. Inacreditável. Como isso é possível.

Dois minutos depois, gol de Gilberto. Bahia 1 a 0. Moisés cruzou, a defesa do Rio Branco bateu cabeça e o goleiro saiu catando borboleta. Gilberto, matador, só Completou para o fundo das redes de cabeça. Na sequência até pareceria que o Tricolor iria ampliar com facilidade, mas esse filme não se concretizou.

O atacante Laéecio, que tem passagem pelo Bahia, fez valer a lei do ex e empatou o jogo aos 14 minutos. O centroavante recebeu cruzamento na pequena área e finalizou para defesa de Douglas. O goleiro do Bahia deu rebote e Laércio mandou para o fundo das redes: 1 a 1.

O zagueiro Jackson até chegou a cobrar uma falta no travessão, mas Élber resolveu entrar em ação. Com o Rio Branco melhor na partida e o Bahia perdido, as poucas chances criadas foram desperdiçadas de forma horrorosa pelo jogador.  Após perder bolas bobas, erras passes absurdos, Élber resolveu mostrar que nada é tão ruim que não piore. Aos 44, Artur aproveitou sobra de bola na entrada da área, passou pelo marcador e chutou cruzado. Élber, sozinho, finalizou, de forma medonha para fora. O gol estava vazio e ele sem marcação. Incrível!

Foto: Nathacha Albuquerque / Divulgação

A segunda etapa foi de poucas oportunidades para ambas equipes, porém foi mais truncada. Logo aos cinco minutos, Nandinho cruzou na área, Douglas não achou nada e Laércio quase marca de cabeça. Na sobra, Kanu finalizou desequilibrado e Douglas defendeu.

A partida só voltou a ter um lance de perigo aos 22 minutos, quando Shaylon cobrou escanteio na primeira trave, Jackson cabeceou forte e Juninho, com muito reflexo, fez ótima defesa. Essa vai para o DVD. Três minutos depois, Moisés puxou contra-ataque e tocou para Douglas. O volante do Bahia avançou e soltou uma bomba. O goleiro Juninho espalma bola para o meio da área e Gilberto, sozinho, balançou as redes: 2 a 1.

Com o Bahia tocando de um lado para o outro e o Rio Branco sem saber o que fazer quando tinha a bola, a torcida só voltou a se animar nas arquibancadas aos 41 minutos. Shaylon cobrou falta de longe e assustou o goleiro Juninho. A bola passou raspando na trave do Rio Branco.

Mas aos 44, o Tricolor recebeu um duro golpe, preço que teve que pagar pela apatia, falta de criatividade e de vontade de matar o jogo. O Rio Branco puxou rápido contra-ataque com Chay, que tocou para Doka. O camisa 100 deu lindo passe para Custódio, que entrou tabelando, invadiu a área e soltou um foguete, sem chances para Douglas. Tudo igual na Arena da Floresta: Rio Branco 2 x 2 Bahia.

 

FICHA:
Local: Arena da Flores, em Rio Branco, Acre.
Gols: Laércio e Custódio (R) / Gilberto, duas vezes (B)
Rio Branco: Juninho; Nando, Rafael, Gilson e Italo; Everton Bocca, Alcione (Geovani) e Doka Madureira; Jeferson Kanu Alex Alcântara (Chay) e Laércio (Custódio). Técnico: João Mota.
Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Jackson, Lucas Fonseca e Moisés; Gregore e Douglas Augusto; Artur (Iago), Guilherme (Shaylon) e Élber; Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.
Cartões amarelos: Gregore e Jackson (B)
Árbitro: Daniel Nobre Bins. Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Michael Stanislau (trio do Rio Grande do Sul).

Rafael Tiago Nunes
Sobre Rafael Tiago Nunes 152 Artigos
Editor e colunista. Jornalista e comentarista esportivo. Foi coordenador do Caderno de Esportes do Jornal Massa por oito anos, já foi repórter de esportes, cidade e economia do Jornal Massa. Foi repórter do Caderno 2 do jornal A Tarde e da Rádio Educadora. Atuou também como jornalista na Seinfra (Secretaria de Infraestrutura da Bahia) e na OAB-BA (Ordem dos Advogados). É assessor de imprensa e sócio-diretor da Habemus Comunicação. Formado na Faculdade da Cidade do Salvador e especializado em jornalismo esportivo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*