Atlético-MG exerce direito de compra por Gustavo Blanco

Foto: Bruno Cantini/Atlético

Fim da novela: Gustavo Blanco é jogador do Atlético-MG de forma definitiva. O clube mineiro sinalizou à diretoria do Bahia que irá exercer o direito de compra, previsto em negociação feita pela gestão Marcelo Sant’Ana e que envolve o zagueiro Tiago. O volante de 23 anos vem se destacando em Minas Gerais desde a última temporada, quando saiu emprestado para o América-MG e foi eleito a revelação do Campeonato Mineiro naquela ocasião. O Atlético-MG se interessou no jogador e negociou sua contratação junto ao Bahia, inicialmente em um contrato por empréstimo, mas com valor estipulado no passe e preferência de compra.

A grande polêmica é sobre o valor dos 70% dos direitos econômicos do jogador: apenas R$1,2 milhões. Um valor muito baixo para os padrões atuais do futebol. E uma pechincha para o Atlético-MG, que, por exemplo, gastava um valor mensal semelhante apenas com o salário de Robinho e Fred até o último ano. O Bahia fica com 30% dos direitos econômicos do atleta.

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Gustavo Blanco foi formado nas categorias de base do Bahia e subiu para o elenco profissional no ano de 2015. Ao todo, ele defendeu o Bahia em 30 jogos e tem um gol marcado com a camisa azul, vermelho e branca. Junto ao Bahia ele foi vice-campeão do nordeste e campeão baiano em 2015. Também estava no elenco que conseguiu o acesso para a Serie A no ano seguinte, em 2016.

Atual xodó da torcida do Atlético-MG, Gustavo Blanco fez 22 partidas com a camisa do Galo nesta temporada e também tem um gol marcado. Na última temporada ele disputou 8 partidas do Campeonato Brasileiro, sendo uma delas justamente contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, em partida que acabou empatada com 2 gols para cada lado. Neste ano já enfrentou um velho conhecido em sua Terra Natal: o Vitória. Foi logo no comecinho do Campeonato Brasileiro e ele contribuiu com o triunfo de seu time, que venceu por 2 a 1, dando a assistência para o primeiro gol da partida, marcado por Ricardo Oliveira.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*